LNNano - Brazilian Nanotechnology National Laboratory

Método criado no LMF é testado em unidade de tratamento de gás da Petrobras

Print this pageShare on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someoneShare on LinkedIn

demo-lmf-mec-gas-3
O pesquisador Renato Sousa Lima, o mestrando Leandro Yoshio Shiroma e o coordenador do Laboratório de Microfabricação (LMF/LNNano), Angelo Luis Gobbi, realizaram na manhã do dia 31 de agosto uma apresentação e demonstração experimental de um método criado com sucesso pelo grupo para a determinação de glicol em amostras de processamento de gás natural da Petrobras (projeto 2012/00029-6, finalizado em março de 2016). A demonstração foi conduzida na Unidade de Tratamento de Gás Monteiro Lobato (UTGCA) da Petrobras, localizada na cidade de Caraguatatuba, litoral norte de São Paulo.

demo-lmf-mec-gasO método, intitulado MEC (microemulsification-based method), foi patenteado junto ao INPI em dezembro de 2014 (BR 10 2014 032785-1) com titularidade da Petrobras e do CNPEM. Desde então, o MEC tem gerado diversas publicações científicas e vem sendo alvo de estudo em projetos de pós-graduação do Instituto de Química (IQ) da UNICAMP. O método é uma potencial alternativa  para testes em campo (in-situ), possuindo vantagens como: simplicidade operacional, baixo custo, portabilidade e robustez, necessitando basicamente de uma micropipeta e frascos Eppendorf® para sua realização. A detecção meramente visual do sinal analítico do MEC permite quantificações precisas, eliminando a necessidade de ferramentas de detecção instrumentais ou operadores qualificados para sua execução.

Além da última demonstração do método ocorrida na Unidade, outras duas demonstrações foram realizadas no ano de 2015 para profissionais da Petrobras no Centro de Pesquisas Leopoldo Américo Miguez de Mello (CENPES, Rio de Janeiro-RJ) e no próprio CNPEM (Campinas-SP). Em todas as apresentações, os profissionais da empresa demonstraram interesse em fazer uso do método em suas análises de rotina, seja em plataforma ou em laboratórios de bancada como aqueles localizados em Caraguatatuba (UTGCA) e no Rio de Janeiro (CENPES).